21 de julho de 2010

Circuito Turístico Vila de São Gonçalo

Por A. C. Nunes-Carvalho

A Nova Capital do Piauí

Na era colonial, a pretensão de transferir a sede do governo piauiense para as barras do Rio Parnaíba, já se fazia notória.

Quando José Idelfonso de Sousa Ramos assumiu a presidência da província, entre 1843 e 1844, aprovou a lei que designava a região de confluência do Rio Mulato com o Parnaíba, como a nova capital do Piauí, devendo chamar-se Regeneração. Entretanto, tal lei não chegou a ser executada.

Neste período, a região ainda denominava-se Vila de São Gonçalo, cujo porto veio a tornar-se a cidade de Amarante, tendo se desmembrado de seu antigo assento (onde hoje se encontra a cidade de Regeneração), em 1860.

Um Passeio através dos Becos

A beleza plástica de Amarante está presente em sua arquitetura e no traçado de suas ruas, similares ao estilo arquitetônico de Portugal, no século XIX.

A grande quantidade de becos estreitos, que restringem a passagem de automóveis, confere à cidade um ar bucólico, ideal para incitar a imaginação e provocar intensas manifestações artísticas e culturais.

Amarante é uma cidade para ser visitada calmamente e, ainda assim, seus segredos jamais serão revelados totalmente, obrigando o visitante a retornar e lançar novos olhares, redescobrindo a cidade a cada passo.

Olhares


O Céu conversa com a Igreja

Travessia

Pedra do Cometa

Pescaria

11 de julho de 2010

Súplica Piauiense*

Por A. C. Nunes-Carvalho

(Trajeto Teresina-Amarante. Ônibus lotado. Duas mulheres conversam enquanto terminam um lanche.)

Primeira mulher. (Limpando a boca com a manga do vestido, depois que acaba o lanche.) Muié, tu já acabou de comer esse negóçu?

Segunda mulher. Acabei, sim. Mas num sei onde jogar... aqui num tem lugar.

Primeira mulher. Dá aqui! (Arranca o lixo da mão da Segunda mulher). Ora, num tem lugar! (Desdenha.) É só jogar aqui. (E joga tudo pela janela.) A gente paga imposto é pra Prefeitura limpar a sujeira.

... E a viagem segue normalmente. O lixo também segue normalmente.


* Alusão à música Súplica Cearense, interpretada por Luiz Gonzaga.